Carga fantasma em baterias

O teste de baterias com a simples medida de tensão é problemática, já que uma bateria pode ter uma tensão relativamente alta, próxima do normal quando em aberto (sem alimentar nada), mas esta tensão cairá enormemente quando solicitamos energia, alimentando algum circuito.
É comum esse tipo de ocorrência em telefone sem fio, celular, rádios de comunicação, câmeras digitais, MP3, etc.

Assimmedir uma bateria com um multimetro na escala de tensões, conforme mostra a figura 1, não é um procedimento seguro para dizer se uma bateria está boa, embora, com certeza ele indique que ela pode estar ruim.
Uma bateria pode ser considerada boa quando não estiver com tensão menor que 20% do valor normal, ou seja, tem que estar com 80% de sua capacidade nominal.

O ideal é fazer a medida de tensão com carga usando um resistor em paralelo.

Como podemos observar na figura 2, o teste em uma pilha ou bateria vai resultar em uma medida não confiável.
Vale resaltar que a tensão nominal de uma pilha é de 1,5 V e a de uma bateria é de 1,2 V (não confundir com uma bateria de carro por exemplo que é de 12 V, no nosso caso é uma célula de bateria).
Uma bateria de telefone sem fio possue 3 células (baterias) de 1,2 V cada, perfazendo um total de 3,6 V.

Além da evidente diferença de tensão, o diferencial é que a bateria é recarregável, enquanto que a pilha se submetida a uma recarga pode explodir, causando danos irreversíveis.

Nessa outra figura (3) vemos a forma ideal e confiavel usando um resistor como carga.
Podemos, inclusive, usar uma lampada (tipo das usadas em lanternas) para visualizar o teste de carga e o consumo.

O valor do resistor depende do tipo de pilha ou bateria que está em teste conforme a tabela a seguir.

Tipo de pilha/bateriaValor de “R” OhmsPotência/Watts
AAA Pilha/bateria “palito” (1,2 ou 1,5 V)300 W1/8 W
AA Pilha/bateria Pequena (1,2 ou 1,5 V)100 W1/8 W
Pilha Média ou ” C “47 W1/2 W
Pilha Grande ou ” D “10 W1 W
9 V Pilha ou bateria330 W1/8 W

Apesar de ser um procedimento simples e fácil de se executar já encontrei vários técnicos que não atentam a esse pequeno detalhe e o mesmo acaba por tomar algumas horas, do nosso valioso tempo, na busca de um pseudo defeito que pode ser classificado como “defeito fantasma”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *